Não permita que a fotografia cinematográfica desapareça

A fotografia está inserida em nossas próprias vidas, do nascimento até a morte, e em quase todos os pontos entre elas. Mesmo aqueles de nós com um mínimo de atenção na fotografia provavelmente carregaram fotografias dentro dos nossos bolsos, e as penduraram em nossas paredes ou as colocaram em uma mesa de trabalho, também tiraram pessoalmente várias fotos. Considerando o advento da fotografia digital, tiramos fotos adicionais, e também as usamos para obter uma gama maior de atividades, especialmente o compartilhamento mais amplo de imagens com outras pessoas. Hoje, as imagens são, portanto, predominantes e quase não conseguem ser notadas.

A fotografia entrou pela primeira vez na vida de seu público típico em 1888, quando George Eastman inventou e comercializou sua própria câmera Kodak inicial. Esta foi uma caixa bastante fácil que veio pré-carregada com um rolo de 100 fotos de exposição. Uma vez empregada, toda a câmera foi enviada diretamente para a Kodak, na qual foi absolutamente recarregada e voltou para o cliente, já que a primeira lista de filmes foi processada.

A simplicidade da câmera e o processamento de filmes tornaram as imagens acessíveis para milhões de amadores informais que não tinham ensino profissional, experiência especializada ou potencial decorativo. A campanha de marketing da Eastman apresentou deliberadamente crianças e meninas gerenciando sua câmera digital, junto com o lema “você aperta o botão; nós terminamos”.

Fotografias instantâneas tornaram-se uma mania nacional dentro de alguns anos, também em 1898, prevê-se que mais de 1,5 milhões de câmeras fotográficas passaram pelas mãos de usuários amadores.

Os primeiros tiros foram produzidos por razões puramente pessoais. Assuntos típicos incluíam ocasiões importantes como casamentos e outras festas familiares menos formais, férias e atividades de lazer, e para capturar a aparência geral aparência de crianças, animais de estimação e também bens valiosos, incluindo casas e carros. Os gráficos eram duplicados como pequenas impressões, e também um membro de sua família frequentemente pedia as imagens como seqüências narrativas em registros.

Desde a primeira parte deste século XX, fotógrafos amadores sérios começaram inicialmente a comercializar a fotografia como uma bela arte na qual – ao contrário da fotografia fotográfica – o fotógrafo exibia sensibilidade estética e habilidades técnicas. O objetivo foi alcançado com sucesso, e também fotografias se tornaram elevadas para uma arte.

Não demorou muito para a maré mudar (porque realmente acontece) e, na década de 1950, os traços desse instantâneo começaram a ser adotados por fotógrafos especialistas por causa de sua própria honestidade, perseverança e espontaneidade. Horizontes granulosos, embaçados e inclinados, a agricultura irregular em preto e branco tornou-se um caminho decente para captar o momento exato. A partir do final dos anos noventa, a foto finalmente alcançou o status de arte popular moderna melhor curso de fotografia online.

Ambas as amplas escolas de fotografia geram uma dicotomia no layout e progresso da câmera. Para esses fotógrafos, as câmeras ficaram pequenas modificadas (tecnicamente) no primeiro, enquanto fotógrafos intensos foram escolhidos para ferramentas mais elaboradas que ofereciam uma precisão muito maior.

A partir de meados dos anos 70, a eletrônica começou a dominar o estilo e o design da câmera, e isso criou uma eficácia fotográfica aprimorada disponível para esse fotógrafo descontraído, sem a necessidade de conhecimento técnico. No entanto, a maior mudança mudou e começou a dominar em torno do milênio: a câmera.

A fotografia foi radical porque erradicou os custos e atrasos inerentes às câmeras. Além disso, expandiu as opções para assistir, editar e compartilhar imagens e, assim, o leque de aplicativos para os quais elas poderiam ser colocadas. Outras melhorias, como o aumento da propriedade de computadores pessoais e também a expansão dessa rede, sustentaram as vantagens e o aumento da fotografia.

Hoje, os telefones com câmera seriam o importante dispositivo de exibição, juntamente com a rede social, o principal estilo em que nossos instantâneos são colocados em prática. Apesar do fato de que a maioria das fotografias, como em seus primórdios, é basicamente uma captura pontual de nossas vidas cotidianas, os comportamentos sociais subjacentes mudaram consideravelmente.

Por pelo menos os primeiros cem anos de fotografia, sua casa estava no centro de nossas atividades. Câmeras eram frequentemente de propriedade de membros da família e acostumadas a beneficiar a família. Embora a maioria dos membros possivelmente já tenha participado da captura da foto, um homem em particular costumava ser o guardião do registro de sua família. O custo das fotos tornava todas as chances valiosas, e também os insucessos que nunca compunham as páginas do álbum de família continuavam sendo mantidos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *